sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Maus líderes deixam a equipe doente

* Por Cleverson Uliana

É isso mesmo! Essa informação foi divulgada pelo psicólogo norte-americano Kenneth Nowack, durante conferência do Colégio Oficial de Psicólogos de Madri. Nowack – membro do grupo de pesquisa de Inteligência Emocional que tem como referência Daniel Goleman, um dos maiores especialistas mundiais no assunto – acredita que há uma relação entre a saúde dos funcionários e o desempenho de suas funções.

Na opinião de Nowack, “os profissionais comandados por líderes ‘emocionalmente inteligentes’ são mais competentes e refletem menos estresse no trabalho, ao contrário daqueles dirigidos por líderes ‘medíocres’, que confessam sua intenção de abandonar a empresa em menos de um ano. Em números, os grupos de trabalho mal gerenciados são, em média, 51% menos produtivos e 44% menos rentáveis que os que são bem dirigidos”.

Para analisar o tema, convidei o especialista Ômar Souki, especialista em Motivação e autor do livro Liderança & Genialidade Empresarial. Confira!

Nossa saúde está diretamente ligada à natureza de nossos relacionamentos tanto em casa quanto no trabalho. Quando um líder desorienta seus colaboradores, ele aumenta o nível de estresse. Como conseqüência, verifica-se uma baixa no sistema imunológico, o que é um convite às doenças.

Portanto, é importante que os líderes tenham tempo e oportunidade para se reciclarem e aprimorarem suas habilidades emocionais. Por esse motivo, as empresas devem ter um cronograma sério de treinamento e aperfeiçoamento de suas lideranças.

Ao tomar consciência de sua influência na saúde da equipe, os líderes aumentam suas responsabilidades em relação à qualidade de vida no ambiente de trabalho. Percebendo isso, eles devem investir pesado em seu próprio crescimento e bem-estar, através de treinamentos e férias regulares. Diminuindo o nível de estresse e aumentando a satisfação na vida pessoal e empresarial, o líder também terá um impacto positivo nos resultados de seus funcionários.

Por isso, as empresas devem promover a satisfação de suas lideranças e aproveitar positivamente o efeito cascata. Líderes bem dispostos criam equipes mais produtivas e rentáveis. Tudo o que for feito para o bem-estar da liderança retornará para a companhia em forma de lucros crescentes e rentabilidade.

Além do zelo na contratação de seus líderes, o empresariado deve favorecer um clima de entendimento dentro da companhia. Afinal, lideranças saudáveis produzem organizações saudáveis. O líder é o modelo. Quando ele fraqueja, toda a equipe se desorienta.

Agradeço a colaboração do Souki e espero que esses esclarecimentos o ajudem a cuidar de suas habilidades emocionais. Dessa forma, além de levar uma vida mais saudável, você não colabora com o desencadeamento do estresse em sua equipe.


* Cleverson Uliana
Redator-chefe da revista Liderança
cleverson@lideraonline.com.br


(fonte: http://www.lideraonline.com.br/)

Nenhum comentário: